Aterro Sanitário: Solução para o problema é uma das prioridades para o Prefeito José Braz e DEMSUR


Já na primeira semana de atuação da nova gestão, a grave situação do Aterro Sanitário está sendo tratada com prioridade e muita seriedade. Afinal, por falta de manutenção adequada e má gestão do descarte dos resíduos, o aterro municipal está com as operações suspensas temporariamente. Assim, todo o lixo precisa ser levado para zona rural de Leopoldina (BR 116, Km 744). Além dos custos para o translado e a demora que esta operação gera para todo o processo, há um gasto de R$ 319 mil todo mês. Por isso, esta semana foram realizadas duas reuniões importantes para que haja uma solução rápida para esta situação. Uma delas com o Diretor União Recicláveis, Tiago Agostinho, com vistas a buscar maneiras para reduzir o custo operacional de descarte. A outra, com o Diretor Técnico da GEOTECH, Marcelo Bevenuto, para a execução do Projeto de Recuperação Ambiental do Aterro Sanitário. Este é um compromisso do Prefeito José Braz e também da Diretora Geral do Demsur, Maria da Consolação, que já está sendo tratado nesta primeira semana de atuação.

 

Foto – Da esquerda para direita – A Dir. Geral do DEMSUR, Maria da Consolação Tanus P. Freitas, Assessor Especial DEMSUR, Eduardo Marge, Dir. Água/Esgoto DEMSUR, João Franca Ciribelli e Dir. União Recicláveis, Tiago Agostinho.

 

Da esquerda para direita – Dir. Geral do DEMSUR, Maria da Consolação Tanus P. Freitas, Assessor Especial DEMSUR Eduardo Marge, Dir. Administrativo DEMSUR, Pedro Paulo de Andrade Cavalher, Dir. Técnico da GEOTECH, Marcelo Bevenuto e o Dir. Água/Esgoto DEMSUR João Franca Ciribelli

Leitor de Página Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support