Diretora do DEMSUR faz balanço dos três primeiros dias de trabalho


Diretora do DEMSUR faz balanço dos três primeiros dias de trabalho
Durante toda quarta-feira (6) as equipes do Demsur atuaram em 4 pontos na cidade: Bairros Napoleão, José Cirilo, Santana e Barra. As equipes realizaram o trabalho de retirada dos entulhos, raspagem da lama e lavação das vias com os caminhões pipa. A previsão é de que tudo seja concluído até amanhã (8).
Segundo a Diretora da autarquia, Maria da Consolação, os trabalhos iniciariam nesta segunda (4), mas as fortes chuvas do fim de semana castigaram as comunidades de São João do Glória e Patrimônio dos Carneiros. Por isso, imediatamente, as equipes e os maquinários do Demsur foram deslocados para garantir o suporte necessário.
Ainda com os serviços em andamentos nos distritos, a cidade foi surpreendida com as cheias do rio, que provocaram as enchentes em diversos pontos da cidade. “Antes mesmo de nos estabelecermos na autarquia, de termos acessos importantes para o desenrolar dos trabalhos, tivemos que garantir o suporte à população que sofria com as enchentes.”
Segundo a Diretora, o primeiro desafio foi em relação a frota para esse atendimento. “O Demsur atuava em Muriaé com 11 caminhões prensa para a coleta de lixo, mas o contrato de 4 deles não foi renovado no final do ano como deveria ter sido feito para não prejudicar o atendimento a população. Assim, nos vimos sem recursos suficientes para atendimento. Como se não bastasse, outros três caminhões apresentaram problemas e tivemos que atuar, neste momento crítico, com apenas 34% da capacidade habitual.”
Além disso, os 3 caminhões pipa da autarquia não puderam ser disponibilizados, já que um deles é usado para abastecimento de reservatórios que fornecem água para diversos bairros da cidade, o outro precisou parar para lubrificação e o terceiro apresentou problemas mecânicos, cuja previsão de conserto é para 10 dias.
Com este cenário, a Diretora, Maria da Consolação, realizou contatos para conseguir o empréstimo de caminhões com vistas a realizar a lavação das ruas. “Graças a Deus, pudemos contar com a ajuda da CBA, do Sr. Sérgio, Ex-Prefeito de Miraí, da JP Engenharia e de José Braz que emprestaram seus caminhões para que o trabalho fosse realizado.”
Outro desafio é o transporte dos resíduos. Segundo a diretora a situação é inadmissível e precisa ser revista com urgência. “Todo o lixo precisa fazer uma viagem até Laranjal para que seja descartado. Isso gera uma grande demora, tendo em vista o tempo gasto, além do valor exorbitante de R$310 mil por mês. Tudo isso porque não houve manutenção do Aterro Sanitário nem gestão eficiente do descarte de resíduos.”
Por fim, Maria ainda precisou contornar a falta de pessoal, já que houve baixa na equipe de limpeza, com 13 pessoas a menos, em relação ao ano passado, por questões de término de contrato. “Quando nos deparamos com esta situação, acionamos a penitenciária para que pudéssemos ampliar nossa força de trabalho na limpeza das ruas e fomos prontamente atendidos.”
Maria da Consolação aproveitou para agradecer o apoio de toda equipe. “Apesar de todas as dificuldades impostas, estamos trabalhando incansavelmente para prestar os serviços à população. Aproveito para agradecer a equipe do Demsur, sempre disposta e eficiente e, também, ao Prefeito José Braz que está prestando total apoio para enfrentarmos as adversidades. Para cada dificuldade sempre buscaremos uma solução. Este é o nosso lema.”

 

 

 

Leitor de Página Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support